Porque o Fórum dos Servidores não participou da reunião como Governo?

 

Muito se especulou, durante a tarde e a noite de ontem (05) acerca da não participação do Fórum dos Servidores do Estado, frente sindical que reúne as principais entidades de classe do funcionalismo público potiguar, com o Governo para tratar da reforma da Previdência proposta por Fátima Bezerra.

O fórum dos Servidores decidiu, após amplo debate coletivo, que só sentaria em uma nova mesa de negociação com a presença da Governadora Fátima Bezerra e mediante a real possibilidade de discutir a proposta de reforma da Previdência, avaliando seus impactos debatendo formas de impedir que suas consequências recaiam sobre a classe trabalhadora do Rio Grande do Norte. 

A ADUERN, em particular, defendeu a participação na audiência com o Governo, mesmo que para apenas apresentar seu desagrado com o andamento das negociações e com a proposta divulgada, mas respeitou a decisão coletiva defendida pela maioria das entidades que compõe o Fórum dos Servidores.

Na avaliação da ADUERN, o Governo do Estado já deixou claro a sua impossibilidade de voltar atrás nas medidas mais nocivas presentes na proposta de reforma e as recorrentes rodadas de negociação tem servido apenas para legitimar a sensação de que a reforma vem sendo pensada de forma horizontal e democrática, o que não é verdade na prática.

Na contramão disso, todas as propostas que foram encaminhadas pela Assembleia de professores e professoras da UERN foram prontamente rejeitadas pelo Governo do Estado que segue afirmando que só poderá abrandar alguns pontos da reforma se endurecer em outros.

Também diferente do que o governo vem afirmando, a Aduern compreende que a reforma da Previdência estadual, aos moldes em que foi apresentada, não é uma obrigatoriedade. A proposta apresentada por Fátima é muito mais dura e penaliza bem mais a classe trabalhadora do Estado do que a proposta do Governo Federal no que se refere à alíquota previdenciária e na taxação dos aposentados.

A urgência com que a temática vem sendo debatida também é um fator de preocupação à todas as entidades que integram o Fórum dos Servidores. Somente no dia 30 de janeiro aos sindicatos tiveram acesso ao texto na íntegra do projeto e hoje, ainda na primeira semana de fevereiro, o Governo já insiste para que a discussão seja concluída e a matéria encaminhada para o Legislativo.

A  Aduern reforça a decisão de sua categoria, prezando sempre pelo diálogo amplo e democrático, desde que esse seja pautado na real participação dos sujeitos e na defesa dos direitos historicamente conquistados. Não é papel da ADUERN discutir com Governos e patrões a retirada ou diminuição de qualquer direito, e o sindicato se compromete a jamais ocupar o espaço de algoz de sua categoria. Nossa tarefa continua sendo a de lutar até o final pela manutenção de uma vida digna para todos os trabalhadores e trabalhadoras da universidade.

Foto Secom